RISCO DE DESLIZAMENTO

Comissão vai pedir prioridade para obras em terreno da PBH que ameaça casas no Fernão Dias

Área pública, que fica acima de residência, recebeu a visita de vereador e integrantes da Sudecap, Defesa Civil e Secretaria de Obras

segunda-feira, 16 Dezembro, 2019 - 15:00
Foto: Abraão Bruck/CMBH

Moradores da Rua Ministro Bilac Pinto, no Bairro Fernão Dias, vivem apreensivos no período chuvoso. As casas estão localizadas na base de um talude construído pela Prefeitura para abertura de outra via pública. Só que o terreno está cedendo e corre o risco de desabar. A comunidade já teria sido notificada pela PBH para a construção de um muro de contenção, mas, para os moradores, a responsabilidade pela obra é do Município. Para averiguar a situação, a Comissão de Administração Pública realizou visita técnica ao local nesta segunda-feira (16/12), a pedido do vereador Jorge Santos (Republicanos). 

“A gente tem passado por esta luta há tempos. A única coisa que a gente precisa é de um muro que a Prefeitura diz que nós que temos que fazer. Indenizaram a gente pela parte de cima do terreno por causa de erro deles e no acordo que fechamos diz que não podemos mexer em nada”. A afirmação é de Sílvio de Oliveira, aposentado que mora no número 117 da Rua Ministro Bilac Pinto, há cerca de 50 anos. Na casa, que fica no final da rua ao lado do talude onde o terreno está cedendo, moram 18 pessoas. Segundo Sílvio, nessa época de chuvas fortes ninguém dorme com medo do terreno desabar.

O caso de Sílvio e sua família está sendo acompanhado pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) e pela Defesa Civil, que notificou os proprietários em dezembro de 2017 e novamente em novembro deste ano. Na notificação, a orientação dada foi para a construção do muro de contenção.

A situação foi relatada ao vereador Jorge Santos (Republicanos), que fez uma primeira vistoria ao local em maio deste ano, sem a presença da Defesa Civil. “Estivemos aqui e solicitamos esta segunda visita para ver como está o processo. Na época foi feito um laudo pela Secretaria de Obras. Temos que dar uma solução urgente para esta situação, pois o risco de desabamento é alto. Hoje o terreno é da Prefeitura, com quem estamos conversando para encontrar a melhor solução”, explicou o vereador.

Solução X Risco

Segundo Bruno Torres, engenheiro da Sudecap que acompanhou a vistoria, a movimentação de terras pode afetar as casas que ficam abaixo do talude e também as que estão localizadas na parte de cima do terreno. “A solução aqui passa por projeto e projeto precisa de estudo do terreno para a execução da obra. Em período de chuvas prolongadas, a orientação para este local é sair e ir para casa de parentes”, afirmou o engenheiro. Atualmente, o terreno está coberto por uma lona preta colocada pelos moradores para reduzir a possibilidade de desmoronamento.

Encaminhamento

“Vamos fazer um ofício pedindo informações sobre se há projeto para execução das obras. Vamos pedir ainda que tudo seja feito com a máxima prioridade para que a família não corra mais riscos”, afirmou o vereador Jorge Santos aos moradores que acompanharam todo o trabalho de vistoria. “Sudecap e Defesa Civil também se comprometeram a fazer um laudo a partir das duas visitas que fizemos ao local”, finalizou. 

Superintendência de Comunicação Institucional

Visita técnica para avaliar os riscos de deslizamento de terras na Rua Ministro Bilac Pinto - Comissão de Administração Pública