COMISSÃO DE MULHERES

Serão solicitadas à PBH informações sobre ações voltadas ao futebol feminino

Também serão questionadas questões como critérios de formação de clubes, campeonatos e profissionais

segunda-feira, 9 Dezembro, 2019 - 14:45
Foto: Divulgação / CMBH

Com conquistas mundiais e nacionais, incluindo o Estado de Minas Gerais, o espaço ocupado pelas mulheres no futebol tem motivado o debate de questões de gênero, como reconhecimento profissional, igualdade de oportunidades e quebra do preconceito. O tema foi discutido pela Comissão de Mulheres, em reunião não regimental nesta segunda-feira (9/12), com a presença de atletas femininas mineiras. Na reunião, a vereadora Cida Falabella (Psol) disse que vai encaminhar pedidos de informação à Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL) e à Federação Mineira de Futebol sobre ações voltadas à modalidade na capital.

Conforme constatou a atleta amadora e organizadora de Eventos de Futebol Renata Paci, Minas Gerais é um estado conservador, machista e misógeno. Destacando eventos como a Copa do Mundo Feminina e o Campeonato Feminino Profissional, questionou a recusa de propostas feitas à ocasião por grandes estádios, como o Mineirão, para a realização de jogos, desde que a Federação Mineira de Futebol arcasse com o corpo móvel, composto por juízes, bandeirinhas e seguranças. Ela informou que a proposta foi ignorada pela federação, alegando-se falta de verba, mas vê na decisão um reflexo da falta de reconhecimento. Segundo Paci, as federações avaliam como amador o futebol feminino, argumentando que a modalidade não atrai público, mas aponta o problema decorreria, na verdade, da falta de investimentos.

Questões de gênero

Laila Seabra, estudante da UFMG e representante estadual da Plataforma Jornalística Nacional de Futebol Feminino Jogadela, que já participou de coberturas estaduais, destacou a importância do crescimento do futebol feminino, que possibilita a ampliação do debate sobre o machismo, racismo, homofobia e transfobia.

Ambas as atletas salientaram que a gestão dos clubes é feita por indicação e que existe muita estereotipação. Elas sugeriram a expansão do debate nas escolas de Belo Horizonte, a ampliação do espaço feminino no esporte e a participação de voluntários na área de Educação Física na capital.

Encaminhamentos

Reforçando que o esporte propicia a discussão do sexismo e salientando a ausência de gestoras no setor, a vereadora Cida Falabella propôs, na reunião, o encaminhamento de pedidos de informação à Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e à Federação Mineira de Futebol. Junto à Secretaria, o objetivo é verificar ações voltadas ao futebol feminino em BH, tendo como foco a sua função cidadã (socialização, prática de atividade física, convívio coletivo e superação de obstáculos). Será sugerida, ainda, à PBH a utilização de espaços destinados a este fim na capital.

À Federação Mineira de Futebol serão solicitadas informações sobre critérios de formação de clubes, campeonatos em BH, garantia de equidade de tratamento em relação aos homens e profissionais. Caso necessário, serão propostas, ainda, a realização de audiências públicas e visitas técnicas.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional