NOVEMBRO AZUL

CMBH integra campanha com ações de conscientização sobre o câncer de próstata

Entre as atividades, palestra, audiência pública, distribuição de panfletos na Praça Sete e caminhada

quarta-feira, 17 Novembro, 2021 - 13:45
Foto: Abraão Bruck/CMBH

Integrando as ações da Campanha Novembro Azul e do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado nesta quarta-feira (17/11), a Câmara Municipal realizará atividades durante todo o mês, visando conscientizar os homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce de doenças que atingem essa população. Segundo o Ministério da Saúde, 42 homens morrem diariamente em decorrência do câncer de próstata e, aproximadamente, 3 milhões vivem com a doença, que é a segunda maior causa de morte por câncer entre o público masculino no Brasil. Com a realização de palestra, audiência pública, distribuição de panfletos na Praça Sete e caminhada, o Legislativo da Capital tem também sua fachada iluminada de azul, assim como seus perfis nas redes sociais personalizados com a cor. 

Estimando-se, de acordo com o Ministério da Saúde, a ocorrência de 68,2 mil novos casos da doença este ano, dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam, ainda, que o câncer de próstata é o tipo mais comum entre os homens, representando 29% dos diagnósticos no país. Preocupados com esse quadro, assim como no Outubro Rosa (campanha de prevenção ao câncer de mama), os vereadores se mobilizaram, mais uma vez, incentivando a prevenção a doenças na cidade, com a organização de ações institucionais.

Confira a programação das ações da Câmara de BH no Novembro Azul:

  • Dia 19/11, das 11h às 13h - Distribuição de panfletos educativos na Praça Sete
  • Dia 25/11, às 15h, no Plenário Paulo Portugal - Palestra do médico urologista Alex Santos com o tema “Novembro Azul: quebrando o preconceito”, com transmissão ao vivo no canal da CMBH no YouTube
  • Data, horário e local a definir - Audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento
  • Dia 30/11, às 8h - Concentração na porta da Câmara; e às 9h - Saída para Caminhada partindo da CMBH até a Praça Floriano Peixoto, no Bairro Santa Efigênia

Chances de cura e consulta regular

Segundo o urologista da Sociedade Brasileira de Urologia, Rodrigo Silvério, o câncer de próstata é uma das doenças mais prevalentes no homem, trazendo desconforto e sequelas físicas, motoras e sociais significativas. Desta forma, é fundamental que homens na faixa entre 40 e 45 anos realizem exames para avaliar suas condições de saúde, eliminando o medo e o preconceito. Quanto aos fatores que podem aumentar a incidência do câncer de próstata, vale destacar o estilo de vida, como alimentação rica em frituras e grande quantidade energética; além da obesidade e do sedentarismo, que dificultam, também, o combate à doença.

Como a prevalência do câncer de próstata é elevada, é fundamental descobri-lo com antecedência, para conseguir tratá-lo de maneira mais fácil e eficaz. De acordo com Rodrigo, quando se descobre a doença no início, a chance de cura é de até 99%, com possibilidade de menos sequelas e menos consequências de lesão ao homem.

Além de tratar o câncer de próstata, a visita ao urologista tem por finalidade investigar outras questões. Grande medo dos homens, a disfunção erétil, por exemplo, pode ser avaliada pelo urologista, que pode cercar patologias relacionadas ao câncer, que causam essa disfunção. Consultas aos especialistas possibilitam, também, a melhoria da qualidade de vida de pacientes que apresentam casos de aumento da próstata ou outras questões sexuais não relacionadas à ereção.

O médico orienta que os homens tenham uma referência na área de saúde, como muitas mulheres têm ginecologistas como referência. Segundo ele, um urologista ou um cardiologista podem direcionar o homem quando necessário, evitando, assim, problemas mais graves.

No que se refere à campanha Novembro Azul, o urologista ressaltou os impactos da pandemia e o medo das pessoas de procurarem os consultórios para consultas médicas, priorizando a prevenção ao novo coronavírus e não às demais doenças. Diante disso, segundo Rodrigo Silvério, o tratamento e a pesquisa acerca do câncer de próstata foram reduzidos no período, podendo ocasionar um aumento da taxa de mortalidade e de sequelas mais severas desses pacientes. Desta forma, o especialista chama, novamente, os homens para reavaliarem sua saúde. “Isso vai ajudar muito, tanto a vencer a pandemia, quanto a evitar agravos secundários da saúde em geral, como doenças prostáticas”, completou.

Legislação municipal

Em Belo Horizonte, várias normas voltadas ao tema, originárias de projetos de lei da Câmara Municipal, foram criadas com foco no tratamento do câncer de próstata, em políticas públicas destinadas ao segmento e em ações preventivas. A Lei 11078/2017, do ex-vereador Dr. Nilton, dispõe sobre tratamento gratuito do câncer de próstata pela Secretaria Municipal de Saúde; e a Lei 10604/2013, da ex-vereadora Sílvia Helena, estabelece princípios e objetivos da política de atenção integral à saúde do homem. Já a Lei 10150/2011, da ex presidente da Câmara, vereadora Luzia Ferreira, institui a Política Municipal de Prevenção e Controle do Câncer de Próstata; e a Lei 9138/2006, de ex-vereador Professor Elias Murad, cria o Dia Municipal de Prevenção e Combate ao Câncer de Próstata.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata deu origem ao Movimento Novembro Azul, que teve início em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce das doenças que atingem a população masculina.

Superintendência de Comunicação Institucional