Bairro São Gabriel

Residencial em construção pode agravar problemas de trânsito e oferta de serviços

Empreendimento em área de 10 mil m² comportaria 98 moradias, cerca de 400 pessoas. Prefeitura disse que obra não é de impacto

terça-feira, 6 Setembro, 2022 - 17:15
Dois homens e uma mulher, sentados à mesa, em reunião presencial
Foto Abraão Bruck/CMBH

A construção de um condomínio residencial no Bairro São Gabriel numa área 10 mil m² e com possibilidade de receber cerca de 400 pessoas tem preocupado os atuais moradores da região. Em audiência pública da Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana, nesta terça-feira (6/9), eles relataram que já enfrentam dificuldades de acesso ao bairro devido ao grande fluxo de veículos; também o centro de saúde da região tem alta demanda em função de ocupações urbanas. O receio da comunidade é que os problemas de mobilidade e o acesso aos serviços públicos piorem. Questionada sobre essa possibilidade, a Prefeitura disse que o conjunto habitacional não se classifica como de impacto e, portanto, não foram exigidas medidas compensatórias. Caso o terreno passe a sediar outro empreendimento, segundo a PBH, haverá previsão de ações mitigatórias e dimensionamento da demanda por serviços. 

Reinaldo Gomes Preto Sacolão (MDB), que solicitou a audiência e mora no São Gabriel, explicou que quem vive na comunidade sabe dos desafios enfrentados diariamente, comentando que a saída pela Via 240 não comporta mais veículos. “O Bairro São Gabriel é ilhado: de um lado tem uma rodovia e de outro um córrego”, contou, afirmando que o problema pode piorar com o acréscimo da população local. O vereador solicitou ao representante do Executivo informações sobre o Residencial Plaza Cartagena (Rua Pedra  Lavrada, 3), contabilizando que o empreendimento comporta 98 moradias, e cabe aproximadamente 400 pessoas e 200 carros. 
 
Adriana Aparecida Rodrigues, ambientalista e moradora da região, disse ter se informado que o residencial pode comportar em torno de 384 moradores e tem previsão de conclusão para janeiro de 2024. Ela afirmou que o empreendimento pode sobrecarregar o Centro de Saúde São Gabriel, que apresentou problemas no passado, ponderando que a oferta de serviços públicos da região também é impactada por ocupações como a da Beira Linha. “A construção de novos empreendimentos imobiliários é esperada e necessária. Cabe ao poder público se adaptar”, concluiu. 
 
O subsecretário Municipal de Planejamento Urbano, José Júlio Rodrigues Vieira, esclareceu que o empreendimento Residencial Plaza Cartagena tem um licenciamento convencional, e a área prevista de construção não corresponde a um quarto da área do terreno. “No porte em que está não se enquadra em empreendimento de impacto”, afirmou. Vieira disse que, caso haja outra construção no mesmo terreno, ele poderia mudar de categoria, e o Município passaria a exigir medidas mitigadoras. Apesar disso, ele afirmou que cabe à Prefeitura absorver possíveis aumentos de demandas em áreas como saúde e educação, colocando-se à disposição para receber as diversas demandas e encaminhá-las aos respectivos órgãos do Executivo. 
 
Reinaldo Gomes e Adriana Aparecida mencionaram vias do Bairro São Gabriel que já apresentam problemas como a Rua Padre Argemiro, além de cogitar a possibilidade de haver a construção de outra torre de apartamentos ou um shopping ou hipermercado no local. “Mais de 10 mil m² é um espaço muito grande para apenas 98 apartamentos”, disse o parlamentar. Eles também solicitaram que a construção do novo Centro de Saúde São Gabriel, em andamento, seja apressada, pois o atendimento pode ficar comprometido com a chegada das chuvas. 
 
Para o vereador, a mobilidade urbana é o maior problema de Belo Horizonte atualmente. “É um caos. As pessoas demoram uma, duas horas para se deslocar, e a cidade não tem nem 3 milhões de habitantes”, protestou. José Júlio Rodrigues Vieira comentou que o desafio é ainda maior levando em conta que o deslocamento inclui a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Reinaldo Gomes Preto Sacolão afirmou que, se as pessoas não estivessem trabalhando em regime de home office, o problema seria pior, pois haveria de 10% a 15% de pessoas a mais nas ruas. Ele vai solicitar à Prefeitura a avaliação do dos atuais problemas de trânsito existentes no Bairro São Gabriel.

Assista à reunião na íntegra.
 
Superintendência de Comunicação Institucional 

Audiência pública para discutir o impacto da construção do conjunto habitacional Plaza Cartagena