SUS-BH

Prefeitura já aplicou R$ 317 milhões no combate ao novo coronavírus

Dado foi informado audiência pública de prestação de contas do SUS-BH relativa ao 2º quadrimestre deste ano

quarta-feira, 14 Outubro, 2020 - 19:15
Foto: William Delfino/CMBH

A Prefeitura empenhou R$ 2,838 bilhões e liquidou R$ 2,268 bilhões em ações e serviços de saúde. Os dados foram apresentados pela Secretaria Municipal de Saúde durante audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento, realizada nesta quarta-feira (14/10), quando ocorreu a prestação de contas do Sistema Único de Saúde de Belo Horizonte (SUS-BH) relativa ao 2º quadrimestre deste ano. Em ações para enfrentamento à Covid-19, o Executivo informou que foram gastos, de abril a setembro deste ano, R$ 317 milhões.

Ampliação de leitos

Entre as ações para o enfrentamento da Covid-19 a Prefeitura destaca a ampliação de leitos hospitalares. Segundo a PBH, enquanto em março deste ano o SUS contava com 133 leitos de enfermaria e 101 de UTI destinados a pacientes infectados pelo novo coronavírus, atualmente, a capacidade potencial de leitos de enfermaria para Covid-19 no SUS é de 1.115, sendo 430 leitos novos e 685 remanejados. Já no que tange às UTIs, o SUS-BH conta atualmente com um potencial de 424 leitos para Covid-19, sendo 250 novos e 174 remanejados.

De acordo com dados do Boletim Epidemiológico e Assistencial Covid-19, a taxa de ocupação de leitos de UTI, considerando o SUS e a rede suplementar, estava em 39,9% em 29 de setembro. Nessa mesma data, a ocupação de leitos de enfermaria estava em 33,7%. Já o número médio de transmissão por infectado estava em 0,92, isto é, cada pessoa infectada transmite a doença, em média, para menos de uma pessoa.

Ainda no que diz respeito à Covid-19, a Prefeitura mantinha, no dia 29 de setembro, seis pontos de fiscalização sanitária em estações de ônibus da capital. Do dia 18 de maio a 28 de setembro, elas foram responsáveis pela avaliação de 720.275 pessoas. Desse total, 552 tiveram que ser encaminhadas para os serviços de saúde. Também no período de 18 de maio a 28 de setembro, 630.917 veículos foram abordados pelas equipes de fiscalização sanitária nas 18 barreiras sanitárias instaladas na capital. Nesse período de pouco mais de quatro meses, 1.276.035 pessoas foram avaliadas e 2.813 tiveram que ser encaminhadas para os serviços de saúde.

A Prefeitura também destacou durante a prestação de contas do SUS-BH o acolhimento provisório para a população em situação de rua durante a pandemia. No dia 6 de abril, teve início, em parceria com o Sesc Venda Nova, o acolhimento emergencial e provisório para população em situação de rua com suspeita de Covid-19. Já para a prevenção à contaminação deste segmento populacional pelo novo coronavírus foi utilizado o espaço da Serraria Souza Pinto. A Prefeitura também adquiriu 2 milhões de máscaras para serem distribuídas à população em situação de vulnerabilidade. As entregas foram feitas em vilas e favelas, além de terem alcançado também as pessoas em situação de rua e as pessoas com deficiência motora e em trabalho informal. Também no contexto do combate à pandemia foram contratados 1.858 profissionais para recomposição, incrementos de equipes e ampliações temporárias de jornada.

Testes e queda de casos

Os testes para detecção da Covid-19 também foram uma parte importante da estratégia para o combate à doença. A Prefeitura realizou 349.526 testes. Desse total, foram 165.237 testes rápidos e 184.130 testes PCR.

Até o início de outubro, houve 291.191 atendimentos de casos suspeitos de Covid-19 na rede própria da Prefeitura. Enquanto que de 5 a 11 de julho ocorreram 16.802 atendimentos de pacientes com suspeita da doença, na semana de 27 de setembro a 3 de outubro houve 1.333 atendimentos. A queda no número de casos suspeitos atendidos pela rede própria aponta o êxito no combate ao vírus.

Saúde em números

Dos 2,5 milhões de habitantes de Belo Horizonte, 49% possuem plano de saúde, 26% têm elevado risco de vulnerabilidade da saúde, 81,3% estão cobertos pelas equipes de saúde da família e a totalidade desses habitantes tem cobertura da atenção básica em saúde.

Atualmente, Belo Horizonte conta com 592 equipes de saúde da família, quatro a mais que em dezembro do ano passado. A Rede SUS-BH também conta com 20.500 colaboradores, mil a mais que em dezembro de 2019. Também foi acrescido o número de leitos do SUS-BH, que, em 2019, era 5.895 e, atualmente, está em 6.199. Entre outros equipamentos, o SUS também conta com dois hospitais próprios e 23 contratados, 34 unidades especializadas próprias e 50 contratadas, além de 152 centros de saúde, 50 ambulâncias do Samu e nove unidades de pronto atendimento.

O abastecimento de medicamentos nas unidades de saúde no 2º quadrimestre do ano ficou em 94%, enquanto que, no mesmo período de 2017, estava em 81%. Já as unidades de saúde mental contam com 97% dos medicamentos necessários à assistência farmacêutica, mesma porcentagem encontrada na rede de urgência.

Novos equipamentos

No 2º quadrimestre deste ano, a PBH iniciou as obras de 12 centros de saúde por meio de parcerias público-privadas. Além disso, em agosto deste ano entregou a nova sede da UPA Norte.

Também foi entregue no 2º quadrimestre deste ano o Centro de Biotecnologia aplicado a arboviroses. Nele, será possível introduzir a wolbachia - um microorganismo intracelular presente em 60% dos insetos da natureza, mas que não estava presente no Aedes aegypti - no mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Quando presente no Aedes aegypti, a wolbachia impede que os vírus dessas três doenças e também da febre amarela se desenvolvam dentro do inseto, contribuindo para a redução do número de pessoas infectadas. Não existe modificação genética neste processo. O método consiste na liberação de Aedes aegypti com wolbachia para que se reproduzam com os Aedes aegypti locais e seja estabelecida uma nova população destes mosquitos, todos com wolbachia.

A prestação de contas pelo gestor do SUS no município à Comissão de Saúde e Saneamento acontece três vezes ao ano em atendimento à Lei Complementar 141/2012. As próximas audiências públicas quadrimestrais para apresentação dos relatórios com informações do SUS-BH deverão ocorrer até o final dos meses de fevereiro, maio e setembro de 2021.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional

Audiência pública para apresentação de relatório detalhado pelo gestor do SUS no município referente ao 2º quadrimestre/2020 - 28ª Reunião Ordinária - Comissão de Saúde e Saneamento