MIGRAÇÃO

Coletivo de mulheres alerta para direitos das migrantes e refugiadas em BH

Vereadores querem conhecer os serviços desenvolvidos pela Prefeitura para atendimento à mulher migrante e seus filhos

segunda-feira, 24 Junho, 2019 - 17:15
Foto: Bernardo Dias/ CMBH

O acolhimento de mulheres migrantes, refugiadas e apátridas em Belo Horizonte foi tema da 8ª Reunião da Comissão de Mulheres realizada na manhã desta segunda-feira (24/6). O assunto, trazido pelas convidadas Paula Dornelas e Yanaki Herrera, do Coletivo Cio da Terra, teve a atenção das vereadoras Cida Falabella (Psol) e Marilda Portela (PRB), junto aos vereadores Edmar Branco (Avante) e Maninho Felix (PSD), presentes à reunião. As parlamentares anunciaram que vão solicitar à Prefeitura informações sobre os serviços desenvolvidos para atendimento à mulher migrante e seus filhos.

O colegiado aprovou, ainda, requerimento da presidenta Cida Falabella, propondo convidar novas mulheres, representantes de  entidades ligadas ao campo temático da comissão, para serem ouvidas e conhecerem o trabalho parlamentar. “Recentemente criada, ela (a Comissão de Mulheres) precisa ser divulgada. E as nossas assessorias já podem indicar representantes para serem convidadas”, reforçou a vereadora a respeito do funcionamento da Comissão. A próxima reunião do colegiado está agendada para o dia 1º de julho (segunda-feira), e já foram formalizados convites à chefe da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de BH,  Larissa Mascotte, e à coordenadora nacional do Movimento de Mulheres Olga Benário e do Centro de Referência da Mulher Tina Martins, Indira Xavier.

Famílias venezuelanas em BH

Durante o encontro a vereadora Marilda Portela lembrou que a cidade já está recebendo as famílias venezuelanas que integram o Programa de Interiorização do Governo Federal, e que este assunto é de grande importância para o município. Segundo a vereadora, atualmente, estão sendo acolhidas, pela organização ADRA Brasil, 25 famílias, de um total de 85 que devem chegar à capital. A informação foi confirmada pela assessoria da ADRA Brasil.Foto: Bernardo Dias/ CMBH

Coletivo de atenção à migrante está sem sede

O Coletivo Cio da Terra foi criado em 2017 e, atualmente, conta com 15 mulheres, sendo 4 brasileiras e 11 migrantes de diferentes nacionalidades – peruana, chilena, colombiana, senegalesa e haitiana. O objetivo do movimento é promover o senso crítico, a autonomia e a autoestima das mulheres atendidas. Segundo Paula Dornelas, a atuação acontece principalmente, por meio de ações nos campos social e laboral. “Fazemos visitas domiciliares, para identificar se a mulher migrante tem alguma demanda na área social ou de atendimento à saúde, e realizamos, então, o acompanhamento bilíngue”, explicou.

Outras duas frentes importantes destacadas por Paula Dornelas são a participação em seminários e palestras de formação política para os direitos do migrante e a realização de feiras para geração de renda. “Nós organizamos feiras ou somos convidadas a participar de eventos, em que as mulheres migrantes que são artesãs ou aquelas que trabalham com a culinária de seus países podem expor seus produtos. Esta é a frente em que temos maior atuação”, contou.

A participação do Coletivo Cio da Terra trouxe outra importante informação para a Comissão de Mulheres. Desde janeiro deste ano a entidade está sem uma sede, o que vem comprometendo a atuação do coletivo. Segundo Yanaki Herrera, outra integrante do Coletivo, os encontros hoje acontecem no Centro de Referência da Juventude (CRJ), o que dificulta a realização de determinadas atividades, como oficinas e aulas de português para as migrantes.

Diante das informações sobre a ausência de uma sede para o funcionamento do Coletivo e, ainda, da chegada das famílias venezuelanas, o vereador Edmar Branco se manifestou a favor de convidar o Executivo Municipal a compor uma próxima reunião da Comissão de Mulheres, a fim de promover o diálogo e o estreitamento das ações. A sugestão foi referendada pelos demais vereadores presentes e a presidenta da Comissão, vereadora Cida Falabella encaminhou proposta de requerimento de informações, junto à Prefeitura, sobre os serviços de atendimento à mulher migrante e seus filhos em Belo Horizonte.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional

8ª Reunião Ordinária - Comissão de Mulheres